Contacte-nos (+351) 217 828 101EN|PT

Blog YouLead - Inbound Marketing

As 10 tendências do e-commerce para 2017

12/jan/2017 11:10:00 por Mariana Madeira

 

As 10 tendências de e-commerce para 2017_youlead.jpg

De ano para ano, o e-commerce continua a ser um impulsionador de vendas. De acordo com especialistas, as vendas online vão aumentar de 335$ bilhões registados em 2015, para 523$ em 2020. Um aumento de 9.32% ao ano.

Por altura de 2017, apenas os mais desatentos não perceberam ainda a importância de ter, não só uma presença digital, mas também uma forte envolvência com as pessoas que procuram os produtos ou serviços online.

Sabemos que no dia-a-dia os compradores utilizam telemóvel, computadores e tablets. Que utilizam estes dispositivos para pesquisar ou comprar produtos ou serviços online, principalmente gerações mais jovens - Millennials. Pelo que temos que saber agarrar a atenção e interesse do comprador, com uma experiência de utilização intuitiva, user-friendly, inovadora, seja qual for o dispositivo que os compradores utilizam.


Estas são as 10 tendências de e-commerce às que deve que estar atento em 2017.

  1. Cyber November

As iniciativas comerciais da Black Friday e Cyber Monday que acontecem nos últimos dias de novembro deram as suas provas. Enquanto que a Black Friday se foca na venda de produtos com descontos muito significativos nas lojas físicas, a Cyber Monday, a segunda-feira logo a seguir à sexta-feira “negra”, está direcionada para o comércio eletrónico.

Tal é o sucesso destas iniciativas, que surge o Cyber November. Iniciar a época festiva de promoções no princípio de novembro. Os retalhistas beneficiarão de todo um mês de promoções, ao invés de apostar tudo num fim-de-semana. Desta forma a logística nas lojas fica mais fácil, e evitam-se as dores de cabeça relacionadas com os milhares de compradores que invadem as lojas físicas e online.

Portanto, jogue por antecipação e prepare bem o mês de Novembro de 2017. Pode ser decisivo no volume de vendas.

 

  1. Personalização em tempo real

Quanto mais personalizada for a interação online da marca com o comprador, melhor é a probabilidade de conseguir vendas online.

Nesse sentido, é usada toda a informação que for possível obter sobre os interesses e preferências do comprador, como pesquisas e compras anteriores, critérios de localização geográfica e demográfica, e outras informações ou interações relevantes com a marca, de modo a ajustar e personalizar o conteúdo a ser apresentado em tempo real.

 

  1. Bases de dados e e-commerce

Existe relutância em comprar produtos online. É por isso que muitos compradores procuram toda a informação que puderem encontrar sobre produtos, desde imagens, especificações do produto, comentários, estudos e outros.

Em 2017, muitos retalhistas vão colaborar com agregadores de dados, numa perspetiva data-as-a-service, para que toda esta informação que influencia a decisão de compra, seja atualizada automaticamente para cada produto.

Algumas plataformas de marketing automation, como a Hubspot, estão preparadas para a personalização dos conteúdos em real-time, mostrando a cada utilizador a informação, produto ou serviço que é mais relevante baseado em comportamentos anteriores.

 

  1. Inteligência artificial

Dialogar com um chatbot é uma realidade para 2017. Uma experiência que se pretende interativa e interessante, que permita acompanhar os compradores em questões, dúvidas, ou pedidos que possam querer fazer.

A americana Taco Bell, por exemplo, deu a conhecer o TacoBot, onde é possível encomendar uma refeição, simplesmente através de um chat, em que o Bot faz as perguntas necessárias para o pedido.

 

  1. O princípio do fim da carteira e do dinheiro

Os pagamentos vão começar a ser feitos através, por exemplo, de dispositivos móveis, como smartphones e smartwatches, e mesmo outros wearables. Pagar vai ser mais fácil. É uma questão de tempo para que este sistema seja implementado. Do lado do comerciante, é necessário estar atento para fazer as devidas atualizações aos métodos de pagamento.

 

  1. Comércio em tempo real numa era híper localizada

Através de tecnologia e sensores que identificam dispositivos, que podem ser utilizados como por exemplo num evento, as marcas podem comunicar de forma instantânea e geo-localizada para o smartphone de uma pessoa, promovendo conteúdos, descontos e experiências, em tempo real.

 

  1. Prever com precisão a próxima compra

É uma capacidade que as marcas estão a ganhar, através de tecnologia e quantidades massivas de dados e informação recolhidos nas interações do utilizador, que são processados para conseguir entender melhor o comportamento, os hábitos de compra e preferências dos compradores.  O volume e abrangência da informação é tal, que é possível prever com precisão a sua próxima compra.

 

  1. A uberização de encomendas

Think global, act local. Pequenas lojas, pontos locais de levantamento de encomendas e entregas no próprio dia. Este é o modelo de operações dos grandes retalhistas online, que concilia logística e entrega de encomendas. Em 2017, muitos compradores online vão receber encomendas no próprio dia, seja em casa, no trabalho, ou num ponto de levantamento à escolha.

 

  1. Comércio unificado – combinando comércio com e-commerce

Como se fosse um só, integrando a estrutura física das lojas e da logística, com a oferta online. Na perspetiva do comprador, a vantagem é a de comprar onde e quando quiser, e ter o produto disponível onde e quando quer.

O aeroporto de Frankfurt dispõe de uma infraestrutura tecnológica, que une todos os comerciantes do aeroporto numa experiência de compra centralizada. Um comprador pode encomendar online um ou mais produtos de uma ou mais lojas, mesmo de restaurantes, enquanto está ainda no avião, ou num táxi a caminho do aeroporto.

 

  1. Desintermediação

Chega de intermediários. Os compradores, principalmente os Millennials, querem lidar diretamente com as marcas. Direct-to-consumer, ou D2C, em detrimento dos canais de distribuição. As marcas pretendem controlar e tornar mais personalizada a experiência dos compradores, do início ao fim do processo de compra. Os distribuidores e comerciantes procuram contrariar esta tendência, oferecendo valor acrescentado, como garantias e serviços complementares.


Se o seu negócio envolve e-commerce, comece já a atualizar os seus processos para se manter à frente das tendências e aproveite as tecnologias que lhe permitem dar o próximo passo no caminho do sucesso.

Descubra como implementar uma estratégia de inbound marketing pode ajudar o seu negócio neste webinar (gravação):

Porque deve apostar numa estrategia de inbound marketing

Tópicos: tendências, Inbound

Mariana Madeira

Publicado por: Mariana Madeira

Inbound Marketer na YouLead.

Deixe aqui o seu comentário: